Voltar para lista de notícias

Secretaria participa de cerimônia de assinatura que proporcionará atendimento em Libras no Ministério Público de São Paulo

Pasta estadual esteve presente no MP-SP para celebrar mais uma ação de inclusão em prol das pessoas com deficiência; instituição agora terá tradução e interpretação de Libras em seus atendimentos por meio de plataforma virtual

junho - 2023

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) participou, nesta quinta (22), da cerimônia que formalizou o Termo de Cooperação Técnica para promover o atendimento em Libras pelos integrantes do Ministério Público de São Paulo. O termo foi firmado na Procuradoria-Geral de Justiça, entre o MP-SP e a Associação Amigos Metroviários dos Excepcionais (AME). O chefe de gabinete da SEDPcD, Alexandre Perroni, esteve presente no evento representando a pasta.

A cooperação prevê a utilização da Plataforma de Atendimento em Língua de Sinais (ICOM), que conecta de forma online e simultânea profissionais tradutores e intérpretes para a realização dos atendimentos a pessoas surdas. O serviço será disponibilizado em todas as unidades da instituição.

Curso de Libras da SEDPcD
A SEDPcD disponibiliza curso online e gratuito da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para adultos, que já qualificou 22,4 mil pessoas a partir de 18 anos de 137 municípios do Estado de São Paulo. No início deste mês, a pasta promoveu de forma inédita a primeira turma “teen” do curso em projeto piloto, com oferta de 40 vagas.
O curso conta com a parceria do Centro de Tecnologia e Inovação (CTI) e tem o total de 40 horas, divididas em 30 horas ao vivo pela plataforma Zoom e 10 horas de atividades extras. É necessário o uso de câmera durante as aulas. Para obter o certificado de participação, é preciso ter frequência mínima de 75% das aulas ao vivo, e atingir média final 5,0 ou superior.

A ação tem como objetivo principal ensinar Libras a pessoas sem deficiência auditiva para que estas estejam habilitadas a se comunicar com as mais de 492,9 mil pessoas com deficiência auditiva que vivem no estado de São Paulo, de acordo com os índices da Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Contudo, pessoas com deficiência, seja auditiva ou outras, também podem se inscrever.